Assessoria de Imprensa: a importância da comunicação para o setor de advocacia

assessoria-de-imprensa-a-importancia-da-comunicacao-para-o-setor-de-advocacia

 

A Assessoria de Imprensa é uma ferramenta da comunicação responsável pela relação com a mídia. Por meio dela, é possível transmitir informações relevantes fazendo com que a fonte se torne referência para a imprensa, formadores de opinião, sociedade e demais públicos de interesse. No caso da Advocacia, o relacionamento com a mídia permite transmitir informações relevantes e a posicionar o profissional do direito como fonte para a mídia mostrando seu diferencial e especialização em sua área de atuação.
 
A Assessoria de Imprensa é uma ferramenta que auxilia o advogado a compreender a importância estratégica da Comunicação e a usar todas as ferramentas, modos e processos que ela oferece para traduzir seu pensamento, seu trabalho, sua imagem, sempre observando os parâmetros especificados pelo Código de Ética e Disciplina da OAB.
 
A comunicação em todos os setores da atividade humana vem adquirindo importância estratégica e não é diferente na Advocacia, seja para as sociedades de advogados, as entidades que representam os advogados, o advogado pessoa física, as instituições de ensino jurídico, que ganham projeção por meio de seu corpo docente formado em grande parte por advogados e outros operadores do Direito.
 
A Advocacia está inserida em um mundo que ganhou visibilidade global a partir da constituição de uma sociedade informacional. Com a internet e as redes sociais, todos passaram e ter a possibilidade de expressar sua opinião em escala mundial. A informação tornou-se, portanto, mais valorizada, socializada e disseminada, ampliando as relações sociais.
 

Por que os advogados precisam de assessoria de imprensa?

Uma das definições mais práticas e verdadeiras sobre o papel do advogado vem de Portugal, onde eram chamados de “vozeiros” porque falavam por quem não tinha voz. Quem provoca a ação do Judiciário e faz a máquina da Justiça andar é o advogado por meio de sua capacidade postulatória.
 
Com a projeção do Judiciário na pauta da mídia, por meio da judicialização das questões políticas do Brasil, onde tudo termina no STF, o exercício da Advocacia ganha um destaque ainda maior, uma vez que os advogados produzem informações relevantes para a sociedade e por isso mesmo devem socializá-las pelo bem comum.
 
Muitas vezes para um assunto se tornar notícia é necessário fazer um trabalho junto à imprensa sobre sua relevância. Isso aconteceu com a questão do calote dos precatórios, que até o nome era de difícil entendimento para a mídia e para o público. Mas, devido a um sistemático trabalho de Assessoria de Imprensa que acabou sensibilizando a mídia, hoje é pauta corriqueira na imprensa.
 
Geralmente, toda investigação ou julgamento que tenham interesse midiático, caso das operações da Polícia Federal, como a Lava Jato, a mídia busca opinião de especialistas do Direito para que apontem caminhos possíveis para a defesa e para a acusação com base no devido processo legal, e tendo alguém (geralmente o advogado) para comentar (em tese) casos correlatos e falar sobre a jurisprudência que envolve a matéria.
 
O jornalismo busca responder as curiosidades da sociedade sobre um fato, cujos padrões e valores são definidos pela cultura e pelas leis. O jornalista é um gatekeeper , a pessoa ou grupo que seleciona o que considera importante dentro de um grande universo de informações, para publicação. Esses canais de comunicação filtram as informações que considerem pertinentes e de interesse da sociedade, definida por critérios jornalísticos e por uma boa dose de subjetividade.
 
Certamente, toda vez que a vitória de um advogado no patrocínio de uma causa importante ou quando assume um processo rumoroso, pela importância do acusado, o tema ganha projeção. Dessa forma, o interesse privado é revestido pelo interesse público, porque cria-se jurisprudência relativa a um direito extensivo a todos os cidadãos. Assessoria de Imprensa agrega valor à organização e ajuda a ampliar esse destaque por meio de um projeto de comunicação e a burilar a imagem positiva de um escritório ou de um profissional, a médio e longo prazos.
 
O jornalista precisa do advogado enquanto fonte por três motivos principais: pela expertise que detém sobre determinada matéria jurídica, porque patrocina uma causa de interesse jornalístico e para comentar os caminhos possíveis de um processo de destaque.
 
A fonte, portanto, é essencial para o trabalho da mídia no qual o jornalista exerce o papel de mediador social, que narra com a maior fidelidade possível os fatos. Assim sendo, o advogado deve se preparar por meio de um treinamento para se capacitar a falar com a imprensa (media training).
 
A sociedade organizada é a grande geradora de conteúdo para a imprensa, o que lhe confere mais participação no poder. O direito à informação vem se consolidando como um valor dentro das sociedades democráticas e os cidadãos estão reconhecendo essa conquista. Se o rádio levou quatro décadas para atingir 50 milhões de ouvintes, a internet levou apenas cinco anos para chegar ao total de 1/3 da humanidade. Nesse ritmo, a Advocacia não pode perder o “trem bala da história”.

Comente

Sem endereço de e-mail não será publicado.